sexta-feira, 11 de março de 2011

tsunami no Japão



Um terremoto de magnitude 8,9 atingiu nesta sexta-feira (11) a costa nordeste do Japão, segundo o Serviço Geológico dos EUA (USGS), matando ao menos 32 pessoas no país e gerando um tsunami (onda gigante com potencial destrutivo) que ameaça países da costa do Oceano Pacífico.
O tremor foi o 7º pior da história, segundo a agência americana.
Imagens de TVs locais mostram que o abalo provocou um tsunami, que alcançou áreas da cidade de Sendai. Carros e barcos foram arrastados.
Logo após o tremor, um alerta para ondas de até seis metros de altura foi emitido no país. O Centro de Alerta de Tsunamis do Pacífico, agência americana, também emitiu um alerta para toda a costa pacífica, exceto EUA e Canadá continentais, de onda de até dez metros.
A agência de gerenciamento de desastres do Japão afirmou que pelo menos 40 pessoas morreram e 39 estavam desaparecidas, mas, segundo a imprensa local, os números devem subir.
Ainda não havia informações sobre vítimas brasileiras, segundo o embaixador do Brasil no país.
O tremor teve epicentro no Oceano Pacífico a 130 km da península de Ojika, no Japão, a uma profundidade de 24 km, considerada baixa.
Ele ocorreu às 14h46 (hora local, 2h46 de Brasília) e foi seguido por pelo menos outros 38 fortes tremores de magnitude superior a 5, segundo o USGS, agência americana que monitora e estuda tremores pelo mundo. O governo japonês emitiu um alerta sobre o risco de fortes réplicas.
saiba mais
Tsunami pode 'varrer' ilhas do Pacífico, diz Cruz Vermelha
Vítima de tsunami ano passado, Chile lança alerta
Premiê pede calma
O primeiro-ministro do Japão, Naoto Kan, qualificou como "grandes" os danos causados pelo abalo. Kan pediu "calma" à população. Ele estava no Parlamento na hora do tremor.
Foram registrados incêndios em pelo menos 80 lugares, segundo a agência Kyodo.
O terremoto sacudiu com força os edifícios de Tóquio. Alarmes foram disparados nos prédios, houve correria, e as linhas telefônicas ficaram bloqueadas.
O Shinkansen, o trem-bala da capital japonesa, e os dois principais aeroportos ficaram temporariamente fechados.
As autoridades japonesas pediram aos moradores da capital que fiquem no centro da cidade e que não tentem chegar a suas casas se vivem nos arredores.
A parede de água entrou quilômetros adentro pela costa da ilha de Honshu, arrastando casas e transformando os portos em cenários de desoladora devastação.
Nas áreas rurais próximas, a onda varreu as frágeis casas de madeira como se fossem de papel, e em questão de minutos devorou centenas de hectares de plantações.
Em Aomori, no extremo norte da ilha de Honshu, pelo menos cinco embarcações grandes, algumas emborcadas de cabeça para baixo, foram levadas pelas águas. Algumas foram paradas por árvores, outras, por conjuntos de lojas ou barreiras marítimas.
Em Ibaraki, era possível ver do alto grandes casas flutuando pela enchente, cercadas por dezenas de carros.
Carros em estrada danificada pelo tremor na cidade de Yabuki nesta sexta-feira (11).A rede TBS mostrou um prédio em chamas na ilha futurística de Odaiba, na capital japonesa.
Um navio com 100 pessoas a bordo foi virado pelo tsunami na costa, segundo a agência Kyodo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Que legal receber seu comentário!