sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Davi apenas queria beber água.

Todas as vezes que pensamos nas histórias contidas na Bíblia aprendemos lições preciosas que nos permitem entender o porque de muitas coisas e nos orienta a como nos portar diante de qualquer situação da nossa vida.
Outro dia, quando trabalhávamos no processo de revitalização do piso da igreja, lembrei-me de um episódio bastante conhecido no Antigo Testamento (I Cr 11.15-18).
Daví estava em uma situação complicada. A Bíblia nos conta que uma multidão de filisteus havia tomado conta de Belém. Daví estava escondido em um lugar forte na Caverna de Adulão. Estavam com ele alguns homens muitos especiais que faziam parte de um pelotão de 30 homens conhecidos como "Os valentes de Daví". Uns trinta homens aproximadamente, uma espécie de tropa de elite. De repente Daví teve um desejo: "Quem me dera beber da água da cisterna de Belém, que está junto à porta!" (V.15).
Três destes homens ouviram isto e não pensaram duas vezes. Prepararam as suas armas, romperam a guarnição dos filisteus e foram a Belém buscar água para Davi. O risco era enorme mas eles não tiverem medo. Enfrentaram os filisteus com a coragem e valentia que os autenticavam a fazer parte do pelotão de forças especiais de Davi. Eles estavam com uma única intenção: alegrarem o coração de Daví. Quando entregam a água nas mãos de seu Rei, este que era um verdadeiro homem de Deus, não teve dúvidas, derramou a água perante o Senhor. Uma verdadeira forma de adoração. Aqueles homens não estavam aptos a oferecerem a Deus aquela oferta e nem era esperado que fizessem isto. Eles queriam simplesmente alegrar o coração de Daví e conseguiram.
Entretanto, a atitude deles foi tão espontânea e intensa que eles alegraram não somente o coração de Daví mas conseguiram agradar a Deus de uma forma impressionante. Esta seria uma situação que poderíamos classificar como "matar dois coelhos com uma cajadada".
Quantas vezes perdemos a oportunidade de agradar a Deus porque não temos uma visão como esta? Quantas vezes nos negamos a executar algo para alegrar aos nossos líderes espirituais pensando que temos que oferecer sacrifícios somente se forem feitos diretamente a Deus?
Se fosse nos dias de hoje, ouviríamos os murmuradores dizerem: "eles estão fazendo uma média, puxando o saco do chefe".
Eles nem ligaram para os musmuradores.
Entendo que eles não fizeram isto para Deus. Eles estavam interessados apenas em alegrar o coração de Daví.
Atitudes como esta deste valentes precisam fazer parte do nosso procedimento de servir a Deus. Temos que ter sensibilidade do Espírito Santo para entendermos as situações e agradarmos a Deus com todas as nossas iniciativas.

Abraço.

Pr Helio Morais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Que legal receber seu comentário!