quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Olhando apenas pela vitrine.


Você já percebeu que a vitrine é sempre a parte mais bonita e interessante da loja? também pudera, a vitrine é o lugar de onde podemos ter uma visão do estilo do produto vendido na loja, podemos saber o preço (em algumas!), a qualidade do produto, a variedade de tons e cores, etc. Mas, somente podemos conhecer os produtos e saber maiores detalhes quando entramos na loja, correto? A vitrine é apenas uma amostra, os produtos de verdade encontram-se no interior da loja. Ninguém compra um produto apenas por olhar na vitrine, é preciso olhar de perto, tocar, experimentar, conferir a qualidade. Vale dizer que os produtos de verdade estão no interior da loja. Na vitrine tudo é perfeito. Quando você vai comprar uma roupa por exemplo, você precisa experimentar, saber se está de acordo com o seu tamanho, com as curvas do seu corpo, se o comprimento está adequado, não é assim? Na vitrine, a mesma roupa pode até ser bonita para o manequim, mas você não pode se esquecer de que ele não é real, no manequim as medidas são perfeitas, as curvas estão todas acentuadas para valorizar o produto. A vitrine é o lugar perfeito, o lugar ideal tudo é bonito, tudo está perfeitamente ajustado para encher os olhos. Inclusive a combinação.
Ás vezes, quando vamos ao Shopping, passamos horas olhando somente a vitrine. Que graça tem somente olhar a vitrine? Não é muito legal ficar apenas olhando a vitrine, o bom mesmo é fazer compras, correto? quando transferimos esta experiência para a nossa vida espiritual, isto também é uma realidade. Tem muita gente que vive apenas de aparência, olhando pela vitrine, ou simplesmente contemplando as bênçãos de Deus mas nunca se apropriam dela. Outro dia, enquanto lia um texto bíblico no Livro de Números (Nm 32.1-42), me deparei com uma história que ilustra muito bem esta situação. O texto tem como pano de fundo a conquista de Canaã, a terra prometida ao povo de Israel. O povo havia sido resgatado por Deus depois de muitos anos de escravidão. Deus então promete que eles habitariam em uma terra fantástica. Para isto era necessário atravessar o Jordão e conquistar a terra que era habitada por gigantes. Entretanto, conforme podemos comprovar no texto bíblico, que algumas tribos resolver ficar na Transjordânia, que ficava antes do Jordão. Esta decisão foi motivada porque eles ficaram admirados com as terras por onde passaram. Esta decisão foi motivada pelo fato de que estas tribos eram de criadores de gado e a terra pareceu muito adequada para isto. Vale lembrar que a promessa de Deus era para uma terra que ficava do outro lado do Jordão, o que oferecia para eles uma proteção natural muito conveniente. As tribos de Rúben, Gade e Manassés se encantaram apenas com "a vitrine", não demonstraram coragem nem determinação para lutar ao lado de seus irmão para conquistar a terra. Este episódio nos ensina algumas coisas interessantes (baseado nas notas da Bíblia Shedd):
  1. A timidez e o egoísmo provocam escolhas indignas: estas tribos não estavam dispostas a ajudar os seus irmãos a lutarem pela terra do outro lado do Jordão e resolveram se contentar com uma terra adequada mas nada especial, sem proteção. Isto às vezes acontece conosco, desistimos de lutar pelos nossos sonhos e nos contentamos apenas com uma benção "adequada" mas nada especial. Algo do tipo:  "está bom, fiz tudo o que eu podia". 
  2. O efeito da indolência (preguiça): um verdadeiro desapontamento para aqueles que contavam com a ajuda daqueles que desistiram de ir até o final. Isto é triste. Muitas vezes é assim que agimos, desistimos de lutar e deixamos alguém sozinho justamente na hora que mais contavam com agente.
  3. Falta de união: por não entender o propósito e não pensar na dificuldade que os outros enfrentariam, o que dificultou extremamente a conquista da terra.
  4. O perigo de viver à margem dos acontecimentos: ficar nas cidades que haviam antes do Jordão significava ficar à margem da bênção de Deus. Existem pessoas assim, que vivem à margem da igreja. Pessoas que frequentam os cultos mas nunca participam efetivamente das lutas, das conquistas. São os chamados expectadores, apenas assistem, olham pela vitrine mas nunca vão "conquistar a terra".
O resultado disto no texto bíblico é que as tribos que resolveram ficar na Transjordânia nunca mais foram mencionadas com realizações importantes, nunca chegaram a se destacar na história de Israel. Esta atitude aborreceu a Deus de forma muito profunda. Assim são as pessoas tímidas, medrosas, mundanas e que vivem à margem da igreja. Nunca vão conquistar o melhor de Deus, jamais vão conseguir aquilo que buscam, nunca vão realizar seus grandes sonhos. Para que possamos conquistar precisamos lutar até o fim, enfrentar os desafios com muita energia, não abrir mão dos nossos sonhos, dos nossos projetos, nunca aceitar algo menos do que o nosso coração deseja. É preciso entendermos que "a bênção de Deus enriquece e não acrescenta dores" (Pv 10.22)
Espero que depois de ler este artigo você esteja preparado para enfrentar os desafios que a vida propõe a você. Que você não desista de lutar porque Deus conta com você. 
Vou encerrar com uma frase que me traz muita motivação: "não abro mão de nenhuma das promessas de Deus para a minha vida".

Abraço.

Pr Helio Morais
(Reflexão inspirada na mensagem pregada pelo Pr Elísio Barreto - IEB SP - Setembro/2011)

Veja também outras reflexões:

O Perigo de ser proativo.
Um gigante que não entrou para a história.
Criando barreiras para a ação de Deus.

Um comentário:

  1. muito bom Pastor, muitas das vezes somos acostumados a julgar as pessoas também, pelo o que elas aparentam ser.. mais só conhecemos realmente, quando olhamos no interior :D gostei muito !

    Mariana Barbosa

    ResponderExcluir

Que legal receber seu comentário!